sexta-feira, 23 de julho de 2010

WorkestraZona Histórica


A CTB – Companhia de Teatro de Braga apresenta WorkestraZona Histórica, no Rossio da Sé de Braga, dia 30 de Julho, às 21h30.
WorkestraZona Histórica é a apresentação final da Oficina de Memória Musical, acção inserida no Projecto BragaCult no âmbito das parcerias para a Regeneração Urbana do Centro Histórico de Braga, que a CTB está a realizar durante este mês na Junta de Freguesia da Cividade.
Coordenada pelo músico-escultor sonoro, João Ricardo de Barros Oliveira, a oficina conta com a participação de 14 crianças que frequentam o Centro de Solidariedade Imaculada Conceição, em Braga. Ao longo da mesma, artista e aprendizes desenvolveram instrumentos/esculturas sonoras e objectos através do aproveitamento de utensílios outrora considerados do quotidiano e hoje imprestáveis, desperdício…lixo, como: cadeiras, máquinas de escrever, rodas de bicicleta, tubos de plástico, pipos e outros objectos. São esses instrumentos que a orquestra, formada pelos participantes nesta oficina, irá apresentar durante a interpretação de uma peça musical que procura a melhor ligação de carácter visual e sonoro, trabalhando variações de velocidade, de intensidade e de timbre.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Instrumentos construídos

Os instrumentos estão quase prontos!
Os jovens participantes estão a fazer os primeiros ensaios, sob orientação do João Ricardo, na Junta de Freguesia da Cividade.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Do velho se faz novo


Reutilização e reciclagem de materiais são práticas que ao longo dos anos têm sido aconselhadas e incutidas nos cidadãos. Porque os objectos atingem um limite e deixam de ser úteis recebem a designação de lixo. Esse lixo - não orgânico - em fim de vida pode sofrer as mais variadas mutações e ganhar uma nova utilidade, por exemplo, como instrumento musical. Esse é o objectivo desta oficina. 
João Ricardo Oliveira, músico-escultor sonoro, e 13 pequenos artistas do Centro de Solidariedade Imaculada Conceição vão transformar o lixo, angariado através de pedido no Facebook e recolhido juntos de várias entidades, em objectos esculturais capazes de produzir sons com identidade própria.
A acção, que decorre na Junta de Freguesia da Cividade, vai culminar na apresentação pública da WorkestraZona - orquestra constituída pelos participantes na oficina, tendo por base os instrumentos desenvolvidos -, em data e local a anunciar brevemente.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

JUSTIFICAÇÃO:
O ponto principal do meu trabalho artístico dos últimos anos baseia-se na criação de novos sons instrumentais /esculturas sonoras. Tive a oportunidade de apresentar o meu trabalho criativo em diversos eventos, solo e em grupo e pretendo agora no âmbito do projecto BragaCult intervir na requalificação urbana e social de um quarteirão da freguesia da SÉ.
A linha azul é uma intervenção sonora sobre o quarteirão da SÉ com o recurso a uma instalação ambivalente de ambientes sonoros e visuais. A partir de objectos normalmente considerados endesuso/lixo pertencentes à sua biografia. O universo sonoro é povoado e complementado plasticamente por vídeo, música, ópera, palavra, dança e registos/ambientes sonoros, numa multidisciplinaridade de actos criativos e de criadores, envolvendo instituições e pessoas locais crianças e seniores.


OBJECTIVOS:
• Pretende reanimar as veias de um velho quarteirão, em boa hora fundeado em Braga - uma zona de latoeiros, sapateiros, merceeiros, penhoristas,.... Ligados à sua história. À evocação do seu passado se quer juntar linguagens e práticas artísticas contemporâneas projectando-a na cidade como Lugar presente. Não se trata, de um projecto de mera historização didáctica de uma reconstituição digitalizada museológica ou etnográfica mas da reabilitação das suas memórias incidindo na modernidade que esse mesmo lugar sugere e que, a seu tempo, foi também representante, mostrando à cidade como testemunho artístico VidaOuVida dos que a habitam.

• Motivar os habitantes daquele quarteirão para o desenvolvimento da sensibilidade, do sentido crítico, da mudança de atitudes e de valores em torno do espaço envolvente. Levá-los à redescoberta do prazer de aí viver e a dar testemunho criativo da sua história.

• Através deste trabalho de construção e pesquisa sonora no espaço, pretende-se avivar a memória das pessoas dando-lhes a possibilidade de redescobrir a poesia da rua. Os pregões, o varrer das ruas, a música do bairro... a memória sonora, o tempo dos diálogos e das conversas SÓnaORA os gritos e algazarras, os arraiais, a luz pública dessas noites culminando num testemunho Invisível.

• Crianças realizarão uma oficina musical/sonora, de construção de instrumentos - esculturas sonoras, e de composição a partir da instrumentação construída e do registo de ambientes sonorous/rua, que irá culminar na criação de uma orquestra, a WorkestraZona.


DESCRIÇÃO:
Os participantes serão envolvidos num discurso sonoro coerente, criando-se diálogos e conversas onde as partes concordam, discordam, argumentam, apoiam, imitam, complementam e mudam de conversa sonora. A partir de esculturas sonoras & objectos construídas por crianças e seniores através do aproveitamento de utensílios outrora considerados do quotidiano hoje imprestável, desperdício, inutilidades…lixo. Uma peça musical que procura a melhor ligação de carácter visual e sonoro, trabalhando variações de velocidade, de intensidade e de timbre, partindo de uma instrumentação, que mais não é do que instrumentos / esculturas sonoras confeccionadas através de lixo, objectos/brinquedo e ambientes sonoros/rua.


COORDENADOR:
João Ricardo Oliveira
Trabalha entre Portugal e Alemanha, Berlim, onde centraliza o desenvolvimento da sua actividade de músico-escultor sonoro. Da sua obra faz parte integrante a criação de objectos esculturais, instrumentos musicais, objectos sonoros e sua apresentação em concertos, performances e intervenções públicas. Colaborou com diversos artistas portugueses e estrangeiros, participou em numerosos festivais internacionais de música, dirigiu „workshops“ para crianças e seniores sobre construção de instrumentos a partir do lixo.


DATA DE INÍCIO:
7 de Julho

DURAÇÃO:
30 Dias


LOCAL:
Junta de Freguesia da Cividade


PÚBLICO-ALVO:
Crianças dos 10 aos 12 anos.


NÚMERO DE PARTICIPANTES:
13 crianças.